O escritor e tradutor Caio Meira. que assina as orelhas. afirma que "um dos eixos principais do livro recai sobre a polaridade que. apesar de interna ao Ocidente. tem conseqüências radicais para o mundo como um todo: de um lado. os EUA - única superpotência mundial. bastião de uma democracia tanto arrogante quanto desmesurada. o "colosso fanfarrão" - que se arvoram. aparentemente isentos de toda a culpa. a governar o mundo de forma quase que unilateral; do outro lado. a Europa. lúcida. mas roída por séculos de guerras e chacinas. remoendo as chagas decorrentes do colonialismo que destruiu. escravizou. submeteu. dizimou. saqueou e violou não apenas homens e mulheres. mas também populações inteiras. Para Bruckner. o Velho Mundo não consegue se livrar do fantasma da culpa e por isso. mergulhado num processo de fundo melancólico e masoquista. deixa aos EUA o papel de protagonista solitário na cena do mundo contemporâneo. " Como todas as obras de Pascal Bruckner. A tirania da penitência é um texto capaz de proporcionar discussões muito bem-vindas à sociedade contemporânea.

A Tirania da Penitencia

REF: 9788574320847
R$11,00Preço